Como saber se um café é especial e não ser enganado

Embalagens de café podem ser irresistíveis com suas cores, promessas e imagens, mas também podem ser mentirosas. Com um bom trabalho de branding, design, descrição sensorial (notas cítricas, notas florais, aroma de frutas vermelhas), nome de países produtores (Colômbia, Etiópia, etc..) e algumas palavras bonitas, um café pode ser vendido a um preço bem alto, deixando de lado a qualidade e o sabor. Com a terceira onda, o “café especial” está caindo no conhecimento do brasileiro e junto a isso, muitas marcas se aproveitam para oferecer produtos de qualidade inferior, por um alto preço, prometendo ser um café especial. Em alguns casos, o café especial de verdade acaba saindo mais barato. Pra você não ser enganado, separei aqui as principais informações que você deve buscar na embalagem, para poder reconhecer um café especial. É imprescindível levar em consideração todos os pontos, mas entender que é uma mistura desses itens que vai dizer se é um café especial ou não.

 

Cadeia transparente

Um dos mais importantes aspectos que diferencia o café especial dos outros, é a rastreabilidade. O que isso quer dizer? Imagine todo o processo do café, da fazenda até a xícara (espécie da planta, variedade, processamento, região, torrefação, etc…) e todas as pessoas envolvidas (produtor, fazenda, torrador, etc…). São informaçõe como estas, que você pode encontrar em uma embalagem de café especial. Porém, na minha opinião, existem aquelas que não podem faltar. Então ao suspeitar de que um café seja especial, as 5 perguntas que você deve fazer são:  

  • É arábica?
  • De onde vem esse café? (Região, Estado, Cidade)
  • Quem plantou? (Nome de fazenda)
  • Como ele foi processado? (Natural, cereja descascado, etc..)
  • Que tipo de variedade é essa? (Bourbon, catucaí, typica…?)

Todas as respostas devem estar na embalagem e quanto mais informações, melhor.

 

Selo

Eles servem como indicativo de qualidade, principalmente para grandes indústrias. Isso porque, esses selos tem custo e alguns bem altos, que em certos casos, só um grande produtor ou uma marca reconhecida conseguem pagar. Tendo em vista que uma boa parte do café especial brasileiro é produzido por pequenos e médios produtores – que não conseguem arcar com estes selos – você vai encontrar muitos café sem estes selos. Por estes e outros motivos, você deve ficar atento aos outros indicativos citados no post. Ainda assim, estes selos são bem vistos no mercado. Aqui estão os principais:  

UTZ : garante que todos os envolvidos na cadeia do café, tiveram condições dignas de trabalho. Também está ligada a práticas eficientes de produção.

BSCA: oferecido pela Brazilian Specialty Coffee Association, este selo é dado a propriedades cujo café é produzido respeitando requisitos sociais, econômicos e ambientes garantindo uma produção sustentável.

FairTrade: selo utilizado por produtores organizados em associações ou cooperativas que atesta que o produtor recebeu um valor justo pelo café vendido. Também garante que as condições de trabalho são dignas e que o produtor é capacitado de modo a obter auto suficiência econômica. Para saber mais acesse: https://www.flocert.net/pt/

Preço

Ninguém quer pagar caro por um café, certo? Mas vamos ser honestos: caro e barato é bem relativo. E aqui vão dois pontos a serem considerados:

1- Independente de caro ou barato (no seu próprio conceito), tem que ser justo. Justo pra quem? Para nós consumidores mas acima de tudo, para o produtor. Sempre queremos pagar mais barato, mas será que estamos sendo justos? Imagine um pequeno/médio produtor no qual um dos fatores de sucesso ou fracasso, é o tempo/clima. Pense também em todo o trabalho que existe em uma fazenda não mecanizada, onde a colheita é manual. Esse é só um exemplo do que acontece na cadeia do café especial e que pode te ajudar a re-pensar no que é um preço justo.

2- Geralmente definimos algo como caro ou barato em comparação a outro. Se você está comparando o preço de um café especial com um café tradicional (desses que crescemos tomando), pare por aí. São dois cafés totalmente diferentes, desde a espécie passando pela colheita, processamento, torra, etc…

Algumas gigantes do café, conseguem vender café especial por um preço mais “barato”, porém é bom tomar cuidado. Grandes players têm um poder maior de barganha, existindo casos em que acontece exploração do produtor por parte dessas empresas. É por isso que para grandes marcas, um indicativo são os selos de qualidade que falamos acima.

O que eu vou falar aqui, é baseado na minha experiência tomando cafés especiais por aí, ok? Vasculhando minha memória, acabei fixando um valor mínimo que encontrei em vários cafés de ótima qualidade: R$ 28,00 pacote de 250g.

 

Identificar um café especial é algo simples. Não se deixe levar pelos rótulos que prometem ser um café especial, ao invés disso, considere os itens pontuados neste post levando em consideração que é soma de alguns deles que vai garantir que você não está sendo enganado.