Ter uma cafeteria não é só Latte Art. Bastidores da operação.

Ter uma cafeteria parece ser o sonho de muitas pessoas, principalmente nos últimos anos em que o mercado de café especial deu um boom. Ter um estabelecimento que pode virar um refúgio frente ao caos de grandes centros urbanos com um ambiente aconchegante, bonito, que promova a cultura, que seja um estimulo a bons papos, com ótimos produtos e com um ideal por trás, um propósito de vida, é algo maravilhoso.

É bem verdade que todo esse lado “mágico” está presente. O Café Especial reúne realmente muitas pessoas boas, promove e incentiva o trabalho coletivo e consciente. Novas ideias e estudos surgem diariamente para animar nossas vidas.

Mas não se iluda. Vamos contar a realidade em alguns posts, um lado que quase ninguém mostra nas redes sociais. Após ler estes pontos, você pensará duas vezes antes de ter uma cafeteria ou pelo menos estará mais ciente do que é o dia a dia.

Os sócios num dos dias que o encanamento entupiu. Nada de glamour.

1- A vida não é um Latte Art
Sua timeline no Instagram é cheia de Latte Art? Esqueça, o último a ficar no bar será você.

Você vai precisar pagar contas, gerenciar pedidos, falar com eletricista, orientar seus colaboradores, problemas com privada entupida, limpeza da loja, fornecedores que atrasam as entregas, correr atrás de troco quando alguém vier com R$100 para pagar um café e fazer a coisa toda rodar.

2- Defina bem seu posicionamento
Antes de sair investindo em equipamentos de estufa, geladeira, freezer, pense muito bem no seu posicionamento e como será o mix de produtos. O investimento financeiro é bem alto e seu ticket em se tratando de café não é tão alto.

Seu foco será só café e pequenos acompanhamentos ou irá investir também em doces, salgados e preparos na loja? Fazer preparos na loja exige um tempo e esforço grande, tanto na abertura quanto no fechamento. Descongelar, colocar pra assar, verificar validade do produto, desperdício, espaço de armazenamento, limpar forno, limpar expositores, embalar os alimentos, se preocupar se vai ter produtos pra viagem, se são produtos recicláveis etc.

3- Paciência
Se você não é uma pessoa paciente, resiliente, vai ter que treinar muito esse lado zen. Lidar com os mais variados perfis de clientes irá exigir bastante. Se na sua região você for o desbravador de cafés especiais e for trabalhar com cerca de 30ml de café no espresso vai escutar muito “Cadê o café? Cinco reais por isso? Na padaria me dão a xícara cheia e custa bem menos”. Aprenda a sambar e ter molejo, a humanidade tem criatividade para te tirar do sério.

4- Ar Condicionado
Torça para que a instalação seja bem feita e faça a manutenção preventiva, caso contrário esteja preparado para lidar com técnicos com capacidades bem duvidosas. Fique de olho na garantia do serviço.

5 – Vai trabalhar muito, mas muito mesmo. Já disse que vai ter que trabalhar muito?
Se esta é sua primeira cafeteria, até ela se consolidar, ter processos bem definidos, ter uma equipe treinada, conseguir parceiros de qualidade, marketing encaminhado, ter clientela fiel, você vai ter que trabalhar muito para ajustar tudo. Principalmente no primeiro ano de operação. Não pense que em 6 meses já vai estar tudo redondo e que você irá só curtir.

Se você acha que vai sair daquele emprego chato das 08h às 18h e que vai trabalhar só de segunda à sexta, não vai. O trabalho é cansativo.

Estes são pontos simples e que parecem óbvios mas estarão presentes no seu dia a dia até sua cafeteria ter fôlego e consistência no serviço. E aí, finalmente, você poderá pensar muito mais em estratégias de crescimento, parcerias, fazer cuppings pra selecionar aquele baita café, ficar na máquina tirando os shots de espresso e treinando Latte Art.